Notícia

Parte do grupo do colégio de São Luís (por: Divulgação)

A história do grupo do Maranhão, que não conseguiu viajar a Ibiporã

Com o cancelamento do ônibus que viajariam ao Paraná, estudantes de escola pública do Maranhão participarão do FESTIBI por meio de vídeo. História do grupo sensibilizou a direção do festival e da Secretaria

Publicado em 17/11/2017 Jaime Kaster - jornalista, Secretaria de Cultura e Turismo PMI - 10:27

HISTÓRIAS DO NOSSO BRASIL

 

Uma situação inusitada ocorreu nesta sexta-feira (17) no Festibi (Festival de Teatro de Ibiporã 2017), que iniciou no último dia 10 e terá os seus oito espetáculos finais entre hoje e domingo (19/11).

Um grupo de um colégio estadual de São Luís, no Maranhão, que não conseguiu vir a Ibiporã por falta de recursos financeiros, irá apresentar por meio de vídeo as suas peças que foram classificadas. O grupo encenará hoje as duas peças em um teatro em São Luís, gravará e enviará os vídeos que serão exibidos ao público amanhã (sábado, 18/11), às 14h, na tela do Cine Teatro Padre José Zanelli.

Foi essa a alternativa encontrada pela direção do festival para que o grupo não fosse desclassificado e os alunos não ficassem ainda mais tristes do que ficaram quando souberam que não teriam o ônibus da Prefeitura para viajar ao Paraná (cancelado de última hora). "Ficamos bastante sensibilizados com essa história em razão dos depoimentos dos alunos, que nos mandaram um vídeo com a reportagem de que iriam viajar ao Paraná e estavam cheios de expectativa", disse o secretário de Cultura de Ibiporã, Agnaldo Adélio.

A expectativa se desfez e foi uma ducha de água fria o cancelamento do ônibus por parte da Prefeitura local. "Se lá faltou apoio governamental, nós aqui em Ibiporã queremos, com esse gesto, mostrar apoiamos o grupo, os professores e nos importamos muito com a cultura", declarou o coordenador do Festibi e professor de teatro, Leander Lincoln.

Todos os anos o Festibi recebe grupos de outros estados. Nas edições anteriores vieram companhias de Minas Gerais e de São Paulo. "Esse grupo do Maranhão vinha ensaiando essas duas peças há oito meses e é muito frustrante não poder apresentar e ainda por cima perder uma viagem que tanto sonhavam".

Os alunos do grupo são adolescentes do Colégio Estadual Y Bacanga, de ensino fundamental e médio. Eles viriam de São Luís (MA) em um ônibus, com 40 pessoas. Atravessariam estados para se apresentar em Ibiporã, já que o festival é competitivo. Sairiam no dia 14, terça-feira, para chegar na quinta à noite.

Com o cancelamento por parte do município, saíram pela cidade para arrumar outra forma de viajar e conseguiram no comércio o dinheiro para o ônibus, mas como a nova viagem levaria dois dias, chegariam aqui já na hora da cerimônia de premiação, no domingo, às 19h. Com isso, não teriam tempo de se apresentar.

A alternativa da gravação em vídeo foi a forma que a Secretaria Municipal de Cultura de Ibiporã encontrou de permitir ao menos que os alunos cumprissem a sua missão artística. "Se puderem vir em outra data serão muito bem recebidos. Aplaudimos a iniciativa", afirmou Agnaldo Adélio.

As peças que o grupo apresentará na tela do Cine Teatro Padre Zanelli neste sábado (18), a partir das 14 horas, são: "Sonhos de uma noite de verão" (releitura de um clássico de Shakespeare) e "Mamãe roubou um banco" (comédia).

 

DADOS DO GRUPO:

Grupo de teatro do Colégio Estadual Y Bacanga - Ensino Fundamental e Médio - São Luís (MA)

Responsável pelo grupo:  Vera Lúcia Tavares Chaves

Diretor do grupo: Cláudio Vinícius Costa  de Azevedo  clau.vinicki@hotmail.com - (98) 9 8820-2054/ (98) 98841-7185

 

PEÇA: "Sonho de uma noite de verão"

AUTOR:    Willian Shakespeare

DIREÇÃO:     Claudio Vinicius Costa  de Azevedo 

"Sonho de uma noite de verão" é um espetáculo que ainda consegue prender o seu público e os alunos do Centro de Ensino Y Bacanga, de São Luís (MA) trazem uma proposta que visa prender ainda mais a atenção da platéia. Trocas de casais, romances improváveis, correrias e enganos fazem parte do roteiro desta comédia. A história trata de uma longa noite de verão que envolve o casamento do duque Teseu com Hipólita. Hermia, uma jovem dozenla deverá se casar. Hérmia  e Lisandro resolvem fugir pelo bosque encantado e habitado por fadas e duendes. O elenco é formado por alunos do ensino fudamental da Escola Y Bacanga que  busca uma nova roupagem para este grande clássico de Shakespeare.

 

PEÇA: "Mamãe Roubou Um Banco"

AUTOR:    Ronald Sá

DIREÇÃO:     Claudio Vinicius Costa  De Azevedo 

É uma comédia em um ato, com um cenário apenas.  Conta a historia de dona Doralice, uma velhinha de 70 anos, que rouba um banco para dar um futuro melhor para seu filho Roberto. Dona Doralice tem mal de Alzheimer e mora com o filho, que no momento está desempregado, pois deixou de licenciar para cuidar melhor da sua mãe doente. Roberto é um solteirão de 40 anos, que anda desleixado, não se preocupa muito com esse lançe de beleza. Ao ver na situação que a mãe o colocou ele tem a chance de mudar sua vida, mas não será tão simples quanto parece, já que sua ambiciosa irmã Ângela sabe do roubo e também tenta se dá bem na confusa história. Ângela é falsa, dissimulada, insuportável e louca por dinheiro; e antes, ela deu um calote na família e por isso não é bem vinda à casa do irmão. Roberto tenta manter tudo em sigilo e pra isso conta com a ajuda de Alzira, sua fiel e extrovertida empregada doméstica. Alzira leva tudo na esportiva, pois seu humor é tocante, mas não tolera a irmã do patrão, que vivem em pé de guerra quando se encontram. Como Roberto e Alzira vão sair dessa confusão, sem chamar a atenção de Ângela? O que irão fazer com a dona Doralice? Já que a polícia também procura a suposta velhinha ladra de banco.


por: Jaime Kaster, jornalistaSecretaria Municipal de Cultura e Turismo / PMI

fotos de divulgação do grupo (anexo)

PROGRAMAÇÃO DO FESTIBI 2017 ATÉ DOMINGO (19/11), ACESSE:


https://www.facebook.com/fundacaoculturaldeibipora/ ou

http://culturaeturismo.ibipora.pr.gov.br/